sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Aos românticos

Longe de mim
A profanação de seu sorriso
n’alma dos desavisados.
Mesmo assim
caio nos seus feitiços,
hipnotizado por teus olhos encantados

Ó vida! Que queres?
A morte pode vir me levar.
Dentro dos meus sonhos hereges
a divindade de tua presença é o mar

Onda que bate em desatino
leva para o infinito o inconsolado,
este moço afeminado,
que mela suas ceroulas.

Ó lágrima! Ó mel!
Choro pelas cebolas.
Os últimos românticos,
presenteio com cenouras.


Laura Saldanha

2 comentários:

Joaquim disse...

Hahaha!

Tive que ler cinco vezes para entender. Bem a sua cara, zoar pessoas romanticas XD

Mas, se um romântico não é ridiculo, ele não é romântico de verdade.

Carol Schuenck disse...

MEU DEUS, EU QUERO ISSO NO MEU BLOG! EU DOU OS CRÉDITOS!
Mas cara, to fascinada mesmo com seus escritos!

Postar um comentário