sábado, 5 de fevereiro de 2011

Esther,


O verão está chegando. Mas como este tempo anda meio maluco ele chegou mais cedo este ano. Alias, o que seria mais digno do verão do que loucura? Eu sinceramente não sei. Verão é um sorriso jovial, alegre e contagiante. Como você. O sol louro brilhando em contraste com o céu anil.
Deixe-me compartilhar com você este verão, pelo menos mais uma vez. Não sei se alguém entenderia esses comentários infames sobre -poderíamos dizer assim- o nada. E eu sei que talvez você não entenderia, mas a sua forma de me enganar era tão sutil... Nós entendíamos nossas discordâncias, entendíamos nossos inexplicáveis e entendíamos que não tinha nada para entender. E que saudade de você. Ainda me sinto perdida, sem poder chegar em casa, deitar na cama de cima do beliche e tirar seu sono despejando minhas histórias, meus achismos e, como você fazia questão de ressaltar, minhas criticas intermináveis sobre tudo e todos. Que saudade das risadas que viravam a noite. “Boa noite!”.
As lembranças dos nossos antigos verões vem: as brincadeiras na casa da avó com todos os primos. Os mosquitos da grama recém cortada, os passeios inesquecíveis a cavalo, as roupas sujas de barro que nunca mais foram desencardidas, índios e cowboys, o leite no lanche da tarde e como seus cavalos ficam felizes com essa nova invenção!
Enfim, volto ao assunto que me fez pensar em você, o calor, a claridade e o verão. Gostaria de lhe informar que vi dois lagartos enormes se secando no sol, descobri que eles morram em buraco ao lado da ponte. Acabou de passar uma tarântula aqui do meu lado e você pode imaginar minha reação; eu e minha famosa aracnofobia. Tem chovido de noite o que é uma boa para dormir, mas uma péssima para acordar e ir a escola. Verão é sempre uma boa para fazer uma sauna, morrendo de raiva, aquele carro não podia estar estacionado na sombra? Verão, dias de bruxas enormes, te vigiando com seus olhos penetrantes, até saírem voando revelando sua faceta azul.
Espero que muitos verões assim venham, para mim e para você.

Abraços apaixonados da sua irmã picuinha.

2 comentários:

Gabriel Carin disse...

O sol desses verões é constante durante todo o ano, justamente por sua sólida capacidade de iluminar em brilho e calor aqueles que estão mais próximos. A sombra que este sol desenhou em você, Laura, tal qual em cada outro indíviduo da Terra, é e permanecerá única. Vale a pena lembrar que o sol é uma estrela.

Cris Psyche disse...

Nem sei como começar, mas o impulso de escrever algo e te dizer que esse texto não passou em branco é grande.
Sinto muito, muito mesmo não ter convivido com vocês durante os verões das suas vidas, não ter compartilhado dos "achismos" e dos desencontros. Sinto porque realmente acredito que meus irmãos são geniais, cada um a sua maneira. E acho que isso me aproxima, de um jeito pouco eloquente ou, incoerentemente, a todos vocês.
E obrigada por compartilhar seus textos comigo, não sabe como fico boba e besta de saber como você escreve bem... é ligeiramente insana, mas eu gosto disso! ♥

Postar um comentário